As ‘Estatuetas de Vênus’ da Idade da Pedra têm uma nova explicação e são surpreendentemente tocantes

ANÚNCIO

Eles estão entre as mais antigas obras de arte conhecidas no mundo. Estranhas estatuetas de figuras femininas que datam do final da Idade da Pedra, muitas com seios, nádegas, coxas, quadris e estômagos fortemente arredondados.

Essas representações icônicas e estilizadas de mulheres do Paleolítico Superior – frequentemente chamadas de estatuetas de Vênus, em uma referência vaga à deusa romana da beleza – foram encontradas espalhadas pela Europa e Eurásia.

ANÚNCIO

Mais de 200 dessas misteriosas estatuetas foram descobertas, datadas entre 38.000 e 14.000 anos atrás, com a maioria delas recuperadas de cerca de 26.000-21.000 anos atrás.

As 'Estatuetas de Vênus' da Idade da Pedra têm uma nova explicação e são surpreendentemente tocantes
Foto:(Reprodução/ Internet)

Embora haja muito debate acadêmico sobre o que as estatuetas de Vênus representavam aos olhos de seus antigos escultores, muitos pesquisadores interpretaram as características voluptuosas das estátuas como símbolos de fertilidade, sexualidade, beleza e maternidade.

Saiba mais: Encontraram no fundo de um lago da Lituânia um corpo de soldado medieval com suas armas

ANÚNCIO

Outros também notaram, entretanto, que os corpos aumentados oferecem uma representação muito realista da aparência da obesidade humana. A obesidade é um problema grave para as pessoas no século 21, embora não esteja totalmente claro por que ela estaria na mente de nossos ancestrais antigos 30.000 anos atrás.

Uma alternativa para explicar a situação

As 'Estatuetas de Vênus' da Idade da Pedra têm uma nova explicação e são surpreendentemente tocantes
Foto:(Reprodução/ Internet)

Em um novo estudo, Johnson e outros pesquisadores oferecem uma explicação alternativa para o mistério do físico exagerado das estatuetas: os corpos não estão inchados como símbolos de sexo, dizem eles, mas como símbolos de sobrevivência.

Leia também: O derretimento do gelo revelou um acervo espetacular de antigos artefatos de caça na Noruega

Os pesquisadores analisaram dezenas de figuras com traços obesos de vários capítulos do período, medindo as proporções cintura-quadril e cintura-ombro das estátuas. Quando essas medidas são comparadas ao local onde as estátuas foram encontradas – especificamente, observando as distâncias a geleiras antigas que existiam – uma conexão interessante foi encontrada.

As 'Estatuetas de Vênus' da Idade da Pedra têm uma nova explicação e são surpreendentemente tocantes
Foto:(Reprodução/ Internet)

Muitas das estatuetas de Vênus foram esculpidas durante uma janela extrema de mudança climática chamada de Último Máximo Glacial, na qual as temperaturas despencaram e as massas de gelo se expandiram por muitas partes do mundo.

Em meio às dificuldades, as estátuas foram esculpidas; é possível, dizem os pesquisadores, que suas formas bem torneadas tenham sido criadas em uma espécie de resposta ao frio terrível.

A simbologia de Vênus

Na hipótese da equipe, as Vênus cheias de corpo existiam como um símbolo de sobrevivência em face de um inverno implacável, exemplificando as virtudes das mulheres supernutridas, cujos corpos maiores e mais gordos poderiam suportar melhor as condições adversas e geladas.

As 'Estatuetas de Vênus' da Idade da Pedra têm uma nova explicação e são surpreendentemente tocantes
Foto:(Reprodução/ Internet)

Os pesquisadores afirmam que as mulheres obesas teriam se saído melhor em gestações durante o Último Máximo Glacial, e também na amamentação.

Saiba mais: Um “tigre dente-de-sabre” de 37 milhões de anos acaba de ser leiloado

Ainda assim, se os pesquisadores estiverem certos, essas estatuetas icônicas – muitas desgastadas, como se tivessem sido tratadas como relíquias de família ao longo de gerações sucessivas – poderiam ter desempenhado um papel simbólico maior do que nunca, conduzindo a humanidade através de um de seus mais sombrios desafios climáticos.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO