As enchentes molharam os pés do Buda gigante chinês, cumprindo a lenda sobre chuvas épicas

ANÚNCIO

Inundações na China atingiram os dedos dos pés de um Buda gigante no sudoeste da província de Sichuan pela primeira vez desde 1949.

Águas lamacentas atingiram o Buda Gigante de Leshan, de 71 metros, enquanto as autoridades lutavam para tentar proteger com sacos de areia o local de 1.200 anos, patrimônio mundial da Unesco .

ANÚNCIO

Uma lenda local diz que se os pés da estátua do século VIII esculpida na encosta de uma montanha molharem, a capital de Sichuan, Chengdu, também irá inundar.

Estátua Buda Gigante de Leshan

A água tocou o Buda Gigante de Leshan pela primeira vez em sete décadas

A China sofreu inundações e deslizamentos de terra devido a chuvas invulgarmente fortes e um tufão, com Sichuan experimentando um dos piores climas.

Na cidade de Yibin, 21 veículos estacionados em uma praça caíram em um buraco depois que a estrada abaixo deles desabou durante a noite.

ANÚNCIO

Ninguém ficou ferido, de acordo com relatos da mídia.

Na manhã de quarta-feira, o status de emergência baixou do nível máximo depois que as águas baixaram e os dedos dos pés do Buda ressurgiram.

O local turístico da montanha Emei foi reaberto após ficar fechado por quase três dias.

As inundações deixaram mais de 200 mortos ou desaparecidos na China este ano e causou US $ 25 bilhões em danos, disseram as autoridades na semana passada.

Cinco pessoas ainda estavam desaparecidas na província vizinha de Yunnan, em Sichuan, depois que um deslizamento de terra destruiu duas casas.

Ruas inundadas em Chongqing ao longo das margens do rio Yangtze (China News Service / Getty)

Em outro lugar, o maior município de Chongqing foi atingido por suas piores enchentes desde 1981, como telhados cobertos de água em áreas baixas da cidade histórica de Ciqikou, que foi fechada para turistas por causa das chuvas na noite de terça-feira.

No Yangtze, a água que flui para o reservatório atrás da Barragem das Três Gargantas, uma grande usina hidrelétrica que atravessa o rio, atingiu um recorde de 72.000 metros cúbicos por segundo, informou a mídia estatal.

Funcionários do Ministério de Recursos Hídricos alertaram que o influxo deverá atingir o pico na quinta-feira, com 76.000 metros cúbicos por segundo, e pode levar a enchentes mais severas rio acima.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte:  INDEPENDET

ANÚNCIO