As curiosidades estranhas de um americano

Nunca satisfeito com o comum, Robert Ripley decidiu tornar suas transmissões de rádio únicas. Ele falou de todo o mundo, com torres de transmissão levando suas histórias dos corações das cidades chinesas e ilhas remotas de volta à América. Logo, porém, apenas estar longe não era o suficiente para Ripley.

Foto: (reprodução/internet)

De volta aos Estados Unidos, ele decidiu mostrar às pessoas os tipos de coisas estranhas que presenciou. Ele transmitiu do subsolo nas cavernas de Carlsbad, do submerso entre um cardume de tubarões e de um poço cheio de centenas de cobras venenosas.

Ao se aventurar nos pântanos sufocantes da Flórida, Ripley descobriu o lugar perfeito para sediar seu último programa de rádio: o Instituto de Répteis de Ross Allen, em Silver Springs. Embora poucas pessoas tenham ouvido falar de Silver Springs, a maioria das pessoas no país as viu na TV e no cinema. Reconhecido por suas águas cristalinas, Ripley observou que parecia que os peixes estavam nadando no ar.

Foto: (reprodução/internet)

Ross Allen, proprietário do instituto, manipulava répteis para filmes e ordenhava o veneno das cobras para estudo científico e uso médico. Ele convidou Ripley para o poço de 500 cobras rastejantes e venenosas.

Enquanto Ripley usava botas e calças protetoras, Allen entrou no poço descalço e sem camisa. Entre as serpentes estavam cascavéis, mocassins aquáticas e cobras corais. Uma picada de qualquer uma delas seria perigoso. Allen levantou uma cascavel de diamante depois de dar-lhe alguns animais de estimação para “brincar”, depois começou a colher o veneno. Em um showboating (apresentação extravagante), ele até tomou alguns goles do veneno, dizendo a Ripley que ele poderia fazer isso com segurança sem que a toxina entrasse em sua corrente sanguínea.

ANÚNCIO

 

Traduzido e adaptado por equipe Saibama.is
Fonte: Ripleys.

ANÚNCIO