Abandonar grandes cidades é melhor que fechar fronteiras na luta contra pandemias

ANÚNCIO

Foi um ano como nenhum outro para estudar pandemias. 

Agora, uma nova pesquisa oferece uma sugestão intrigante para desacelerar a propagação de infecções: fazendo com que as pessoas se mudem das grandes cidades, em vez de isolar fronteiras.

ANÚNCIO

Os pesquisadores fizeram cerca de 10.000 simulações observando a migração unilateral de uma área densamente povoada para uma área pouco povoada enquanto uma doença se espalha.

Abandonar grandes cidades é melhor que fechar fronteiras na luta contra pandemias
Foto: (Reprodução/ Internet)

A taxa geral de infecção era reduzida se as populações se misturassem, as estatísticas mostraram, embora a taxa de infecção na área pouco povoada tenha aumentado. Se o movimento foi forçado para longe da área densamente povoada, a taxa geral de infecção caiu ainda mais.

Leia também: É oficial. O mundo já ultrapassou 50 milhões de casos confirmados de coronavírus

ANÚNCIO

Assumindo que 90% das pessoas começam em uma área densamente povoada, como uma cidade, e 10% começam em uma área pouco povoada, como uma vila, o estudo mostrou que as taxas gerais de infecção poderiam ser reduzidas de cerca de 35% da população para cerca de 23% se as pessoas podiam circular livremente.

Veja também: Estranho caso: Crianças desenvolverem anticorpos contra o Coronavírus sem nunca ter um teste positivo

E enquanto a porcentagem de pessoas infectadas em nossa aldeia hipotética aumentaria como resultado, a queda na porcentagem de pessoas infectadas em nossa cidade hipotética diminuiria em uma quantidade maior, descobriram os pesquisadores.

Abandonar grandes cidades é melhor que fechar fronteiras na luta contra pandemias
Foto: (Reprodução/ Internet)

O impacto negativo sobre a comunidade menor pode ser mitigado por exames de saúde na fronteira, permitindo apenas a realocação de pessoas saudáveis ​​e limitando o movimento de pessoas realocadas, dizem os pesquisadores.

Se as pessoas puderem ir e vir entre suas casas antigas e novas, os benefícios são reduzidos, mostra o estudo.

Saiba mais: Casos assintomáticos de coronavírus parecem perder cedo, mostra estudo

Este presente artigo é apenas um modelo de movimento, sem a complexidade e imprevisibilidade da vida real. Uma série de suposições – incluindo taxas de reinfecção e imunidade, padrões de comportamento e assim por diante – foram feitas para gerar os números.

Abandonar grandes cidades é melhor que fechar fronteiras na luta contra pandemias
Foto: (Reprodução/ Internet)

Com isso em mente, estudos de modelagem como este não podem dar respostas definitivas, mas podem apresentar algumas sugestões úteis – e parece que manter as pessoas confinadas no local pode ser pior para as taxas gerais de infecção, mesmo que permita algumas regiões para ficar relativamente livre de doenças.

No mundo real, permitir que as pessoas se mudem de uma casa na cidade para uma casa de férias em um vilarejo pode impedir a propagação da doença, dizem os pesquisadores, contanto que não haja volta até o fim da pandemia.

Fique por dentro: Com o coronavírus se espalhando em visons, as mutações do vírus podem ser aceleradas

Claro, há muitas outras considerações econômicas e sociais a se pensar além da taxa de infecção – não menos se os moradores da cidade gostariam de se mudar ou se os moradores das aldeias ficariam felizes em tê-los – o que destaca o trabalho difícil que os governos têm na gestão a propagação do coronavírus.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO