A Europa está voltando às aulas, apesar da recente onda de vírus

ANÚNCIO

Uma mãe e seus três filhos escanearam o material escolar em um supermercado de Paris, pegando canetas-tinteiro multicoloridas, cadernos novos – e muitas máscaras.

Apesar do ressurgimento das infecções por coronavírus, cenas semelhantes estão se desenrolando por toda a Europa à medida que um novo ano escolar começa.

ANÚNCIO

Com vírus ou sem vírus, as autoridades europeias estão determinadas a colocar as crianças de volta nas salas de aula, para diminuir as lacunas de aprendizagem entre os que têm e os que não têm, que se aprofundaram durante os bloqueios – e para fazer com que os pais voltem ao trabalho.

(Jens Buettner / DPA via AP, arquivo)

Enfrentando um aumento nos casos de vírus, autoridades na França, Grã-Bretanha, Espanha e outros lugares estão impondo regras de máscara, contratando professores extras e construindo novas mesas em massa.

Embora a saga de volta às aulas nos EUA tenha sido politizada e caótica, com uma mistura de regras em rápida mudança e reação contra a insistência do presidente Donald Trump em reabrir, os governos europeus enfrentaram menos tumulto.

ANÚNCIO

Leia também: Estudo de mais de 55.000 casos COVID-19 revela uma ordem previsível de sintomas

E embora o vírus tenha invadido salas de aula nos últimos dias de Berlim a Seul, e alguns professores e pais avisem que suas escolas não estão prontas, os líderes europeus da esquerda política, direita e centro estão enviando uma mensagem incomumente consistente: Mesmo em um pandemia, as crianças estão em melhor situação nas aulas.

(Jens Buettner / DPA via AP, arquivo)

A Alemanha pode servir como um conto de advertência, ou um exemplo, para seus vizinhos.

Pelo menos 41 das 825 escolas de Berlim relataram casos de vírus com o recomeço das aulas neste mês, e milhares de alunos foram colocados em quarentena em todo o país.

Mas a Alemanha está determinada a não fechar as escolas novamente, então, em vez disso, está enviando alunos ou turmas individuais para a quarentena.

As escolas permaneceram fechadas na maior parte da África, América Latina e em algumas das nações mais populosas do mundo, incluindo Índia e Bangladesh. 

(Jens Buettner / DPA via AP, arquivo)

Nos Estados Unidos, alguns distritos escolares estão planejando uma combinação de aprendizagem presencial e online para ajudar a manter o distanciamento social. Outros distritos estão começando as aulas apenas online.

Leia também: Inglaterra fecha as portas devido às novas restrições de bloqueio da Covid a serem aplicadas em Blackburn e Oldham

A Dinamarca esta semana viu um endosso incomum para a reabertura de escolas. Sua segunda maior cidade, Aarhus, mandou todos os alunos do ensino médio para casa depois de um aumento nos casos de vírus, mas os adolescentes resistiram, dizendo que não aprendem muito online.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: APNews

 

ANÚNCIO