2020 teve a maior queda nas emissões de carbono em um ano da história. Mas vai durar?

ANÚNCIO

Por alguns momentos, no final de abril de 2020, o petróleo – normalmente a força vital da economia mundial – tornou-se mais caro para armazenar do que pagar para alguém retirá-lo.

Os preços futuros com grande flutuação do petróleo bruto refletiram o impacto da pandemia do coronavírus, com quedas recordes nas emissões de gases de efeito estufa e na demanda por combustíveis fósseis, tornando 2020 um ano inesperadamente bom para o clima.

ANÚNCIO

As Nações Unidas e o Global Carbon Project disseram no mês passado que a poluição por carbono, que causaria o aquecimento do planeta, deveria cair 7% em 2020, a maior queda em um único ano da história.

2020 teve a maior queda nas emissões de carbono em um ano da história. Mas vai durar?
Foto: (Reprodução/ Internet).

À medida que aumenta a pressão sobre os governos para que correspondam as ações às suas promessas de reduzir as emissões, essa queda histórica é bem-vinda, mesmo que tenha ocorrido apenas devido à pandemia.

Fique por dentro: Plásticos biodegradáveis ​​da China ‘não conseguem resolver a crise de poluição’

ANÚNCIO

Ele coloca 2020 aproximadamente em linha com o que a ONU diz ser necessário para manter a meta do acordo climático de Paris de limitar o aquecimento a 1,5 ° C ao alcance.

Mas com a distribuição de várias vacinas COVID-19 aumentando em 2021, permitindo uma recuperação econômica global antecipada, 2020 será o início de uma tendência anual de redução das emissões, ou apenas um pico momentâneo?

A Organização das Nações Unidas também se pronunciou 

2020 teve a maior queda nas emissões de carbono em um ano da história. Mas vai durar?
Foto: (Reprodução/ Internet).

A ONU em seu relatório anual de Emissions Gap disse em dezembro que a queda de 2020 nas emissões teria apenas um “impacto insignificante” no aquecimento de longo prazo, sem uma mudança profunda em direção à energia verde.

Veja também: Como a pandemia mudou as emissões globais de carbono?

Ele disse que as emissões atingiram um recorde em 2019 de 59,1 bilhões de toneladas de CO2 equivalente – um colossal 2,6% maior do que no ano anterior.

Ainda assim, os países que mais poluem priorizaram setores fortemente dependentes de combustíveis fósseis em seus pacotes de estímulo.

Choque cíclico

2020 teve a maior queda nas emissões de carbono em um ano da história. Mas vai durar?
Foto: (Reprodução/ Internet).

A ONU disse neste mês que a produção de petróleo, gás e carvão precisava cair 6% ao ano até 2030 para permanecer no curso de 1,5 ° C.

Leia também: O uso de um umidificador pode reduzir suas chances de contrair COVID-19

Sua avaliação da lacuna de produção mostrou, entretanto, que os países planejam aumentar a produção de combustíveis fósseis em 2% ao ano nesta década.

Isso ocorre apesar dos baixos custos recordes de tecnologia de energia renovável, como solar e eólica.

Traduzido e adaptado por equipe Saibamais

Fonte: ScienceAlert

ANÚNCIO