20 de novembro, saiba mais sobre o dia da consciência negra

ANÚNCIO

“I have a dream” (eu tenho um sonho, em tradução livre), no dia 28 de agosto de 1963 essa frase ganhou um novo peso, com o discurso de Martin Luther King, falando sobre a discriminação e racismo.

A triste realidade é que, até hoje, o sonho de Martin Luther King não se concretizou, de forma que ainda há muitos casos de pessoas sofrendo discriminações e preconceitos, proveniente de racismo.

ANÚNCIO

Contudo, há vitórias a serem celebradas, uma delas é a instituição do Dia de Zumbi e da Consciência Negra, colocando a história e cultura afro-brasileira no currículo escolar, assim como um dia onde o tema entra em foco de debates e palestras.

Consciência
Fonte: Imagem Internet

Mas, você sabe como esse dia surgiu e o porquê dele existir?

Origem

ANÚNCIO

Comemorado em todo território nacional, o dia 20 de novembro é uma referência à morte de Zumbi dos Palmares, por ser o dia de sua morte, ele que foi o líder do Quilombo de Palmares.

Em 1532 chegavam os primeiros escravos vindos da África, situação que continuou até o fim do tráfico negreiro, que ocorreu em 1850, com a lei Eusébio de Queiroz. Em 13 de maio de 1888 a escravidão foi abolida formalmente.

Em 9 de janeiro de 2003 a lei federal 10.639 foi instituída no calendário escolar, colocando o ensino da “história e cultura afro-brasileira” no currículo escolar em todo o país. Contudo, apenas em 10 de novembro de 2011 que a data foi oficializada, com a lei 12.519/2011 surgindo, então, o “dia nacional de Zumbi e da Consciência Negra”. Contudo, não há obrigatoriedade de que seja feriado.

Zumbi dos Palmares

É complicado falar do “dia nacional de Zumbi e da Consciência Negra” sem falar de Zumbi dos Palmares, mas você sabe quem foi Zumbi dos Palmares?

Zumbi dos Palmares nasceu em Alagoas, em 1655. Em um Brasil Colonial, com uma economia escravista, com importação e comercialização de escravos, Zumbi foi um dos principais representantes na luta para mudar essa realidade.

Consciência
Fonte: Imagem Internet

Líder do Quilombo dos Palmares, e o que eram os quilombos? Eram comunidades livres, formadas por escravos fugitivos. Vivendo do que cultivavam, os negros vivam livres nos quilombos.

O Quilombo dos Palmares estava localizado na região da Serra da Barriga, atualmente parte do município de União dos Palmares (Alagoas). O Quilombo dos Palmares, na época de Zumbi, alcançou a população de, aproximadamente, trinta mil pessoas.

Zumbi nasceu livre, contudo, foi capturado com, mais ou menos, sete anos de idade. Ganhou o nome de Francisco, ao ser entregue a um padre católico. Aprendeu português e o catolicismo, voltando ao quilombo com 15 anos de idade.

Quilombo atacado por soldados portugueses em 1675, Zumbi se destaca como guerreiro ao ajudar na defesa. Depois de muito sangue derramado, os soldados recuaram para Recife. Zumbi se coloca contra um acordo entre o governador de Pernambuco e o líder Ganga Zumba, por ser contra a liberdade dos quilombolas, enquanto os negros continuavam escravos em fazendas.

A liderança chegou para Zumbi quando o mesmo estava com 25 anos de idade. Durante seu período, a comunidade cresceu e se fortaleceu, alcançando diversas vitórias contra soldados portugueses.

Zumbi se destacou pela habilidade de planejar e organizar o quilombo, isso sem falar de sua coragem e conhecimento militar.

Em 1694, o bandeirante Domingos Jorge Velho organizou um grande ataque ao Quilombo dos Palmares, destruindo a sede do quilombo, Macaco. Zumbi foi ferido, mas conseguiu fugir, entretanto, traído por um amigo e companheiro, Zumbi foi degolado em 20 de novembro de 1695, com 40 anos de idade.

Cenário atual

Com o dia da consciência negra, em novembro há diversas atividades e projetos buscando conscientizar as pessoas da importância de refletir sobre a posição dos negros na sociedade atual.

Todavia, a triste realidade é que ainda é possível perceber discriminação e preconceito sofridos por pessoas negras, inclusive, em 2018 uma pesquisa mostrou número alarmantes, de um crescimento na discriminação.

Segundo a pesquisa, o salário de pessoas pobres é, por incrível que pareça, 46% menor do que de pessoas brancas. O que mostra que, embora o negro tenha encontrado seu lugar, especialmente em esportes e artes, há muita coisa a mudar ainda.

Tenho um sonho que meus quatro pequenos filhos viverão um dia numa nação onde não serão julgados pela cor da sua pele, mas pela qualidade do seu carácter. Tenho um sonho, hoje.” – Martin Luther King

Ninguém nasce odiando o outro pela cor de sua pele, ou por sua origem, ou sua religião. Para odiar as pessoas precisam aprender, e se elas aprendem a odiar, podem ser ensinadas a amar”. – Nelson Mandela

ANÚNCIO