Com as restrições à aviação doméstica causadas pelo coronavírus, emissões diminuem

A diminuição no número de voos domésticos já causou uma redução de 10% das emissões comparado ao mesmo período do ano passado. Alternativas encontradas para atenuar os efeitos da pandemia do coronavírus podem criar novos hábitos e diminuir as emissões mesmo depois do seu fim.

ANÚNCIO

As emissões da aviação doméstica podem cair pela metade devido a restrições relacionadas ao coronavírus, mostra nova análise.

As viagens internacionais e domésticas diminuíram devido às proibições implementadas em todo o mundo para retardar a propagação do vírus.

ANÚNCIO

Um relatório do instituto australiano descobriu que as emissões de viagens internacionais caíram cerca de 10,3 megatoneladas de fevereiro a março.

Isso representa uma queda de 4,3% em relação a fevereiro do ano passado e uma queda de 10% na primeira parte de março em comparação com o mesmo período de 2019.

A aviação representa cerca de dois por cento das emissões globais de dióxido de carbono e não está incluída no Acordo de Paris.

ANÚNCIO

Em vez disso, a indústria tem um acordo separado, para um crescimento líquido de zero emissões a partir do ano base de 2020.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo projetou um corte de 38% nas viagens aéreas em 2020, o que equivale a uma queda de 352,7 Mt nas emissões globais da aviação civil em comparação com o ano passado.

Coronavírus: Latam suspende temporariamente voos entre São Paulo e ...

Uma nova esperança

Richie Merzian, do Instituto da Austrália, diz que resta saber se o COVID-19 mudará permanentemente os hábitos de vôo.

“Com as restrições de viagens e quarentena em vigor, houve uma demanda crescente por soluções alternativas – serviços como o sistema de teleconferência Zoom registraram usuários mais ativos nos primeiros dois meses de 2020 do que em 2019″, disse ele.

Traduzido e adaptado pela equipe SM

Fonte: 9news

 

ANÚNCIO