12 coisas aprendidas em terapia

ANÚNCIO

Muitas pessoas ainda tem um pensamento um pouco fechado para terapia. Isso porque acreditam que se trata de algo necessário apenas para aqueles que estão enfrentando algum momento ruim especificamente ou mesmo que tem traumas a serem tratados. No entanto, esse método é essencial para qualquer pessoa que deseja embarcar em uma jornada de autoconhecimento. 

Geralmente, quem adere a esse tipo de tratamento apresenta um grande crescimento em todos os aspectos da vida e se torna alguém mais preparado para lidar com os conflitos que surgirem no caminho. Entre as inúmeras vantagens proporcionadas pela terapia, existem algumas delas que são marcantes. Acompanhe nosso artigo e veja os benefícios trazidos pelas sessões. 

ANÚNCIO

Coisas que aprendemos fazendo terapia 

1 – Comemorar todas as vitórias, mesmo que pequenas. 

terapia
Foto: (reprodução/internet)

Absolutamente todo esforço que fazemos para conquistar algo deve ser comemorado. Algumas coisas podem parecer simples, mas o simples fato de levantar da cama pode ser tudo para alguém que está deprimido ou fadigado de sua rotina. Por isso, Comemore! 

2 – Reconhecer as coisas boas da vida 

terapia
Foto: (reprodução/internet)

Uma ótima maneira de se tornar alguém mais otimista e seguro, é reconhecer as coisas boas da vida. Em terapia isso é trabalhado como um exercício diário. Por mais que o seu dia tenha parecido desastroso, se apegue a um pequeno detalhe do que foi bom. Seja por um sorriso ou abraço sincero recebido. Aquilo que mentalizamos tem um enorme poder no decorrer do dia, por exemplo, se você acorda imaginando que o seu dia será terrível, a sua percepção sobre as coisas que acontecerão ao longo dele serão vistas com essa perspectiva. No entanto, se você se levanta acreditando que coisas boas acontecerão, por mais que algo fuja disso, você não será abalado.  

3 – Chorar faz bem 

terapia
Foto: (reprodução/internet)

Algumas pessoas tem certa dificuldade em demonstrar sentimentos, e tá tudo bem com isso. Você não precisa sair por aí expondo as suas frustrações para todos os cantos. Contudo, um dos métodos aprendidos com as sessões de terapia é a respeito da importância em assumir o quão frágeis e vulneráveis podemos ser. 

ANÚNCIO

Ainda que você não queira demonstrar-se uma pessoa sensível demais aos outros, em sua intimidade, faça isso! Não reprima o choro, quando você libera sentimentos reprimidos a probabilidade de se sentir menos sufocado e até mesmo se tornar uma pessoa mais otimista e leve são enormes. 

4 – Você não é um peso para os outros 

É comum em alguns momentos sentirmos que estamos incomodando outras pessoas. Mas é necessário avaliar se isso procede ou não. Ter constantemente um sentimento de que você não é bem-vindo em um determinado lugar ou que não é querido por aqueles que ama, pode ser algo prejudicial para o seu convívio social. Por isso, é importante entender se esse sentimento não passa de uma rejeição de si mesmo. 

5 – Autoaceitação 

Esse é um dos pontos mais importantes, pois trata-se do primeiro passo para evitar todas as outras questões abordadas até aqui. Autoaceitação permite com que enxerguemos as coisas com mais clareza e racionalidade. Adquirimos a habilidade de saber separar o que se trata de sentimentos que precisam ser trabalhados e o que realmente acontece ao nosso redor. 

Quando nos aceitamos nos livramos do peso de ter que viver em função do que os outros esperam de nós e passamos a ser protagonistas da nossa própria história. 

6 – Nem tudo se trata de você 

terapia
Foto: (reprodução/internet)

É muito importante entender que nem tudo se trata de você. Se um grupo de amigos do qual você faz parte decidir sair e você não for comunicado, não pense que isso se trata de uma estratégia de exclusão. É apenas um grupo de amigos que decidiu sair, não leve tanto peso para a sua vida. 

Entender que o mundo não gira ao nosso redor faz com que as coisas percam um pouco o efeito negativo. Nem todas as coisas que nos chateiam são premeditadas, às vezes a outra pessoa teve um mal dia, e isso é perfeitamente normal, afinal, somos todos seres humanos, né? 

7 – Você não tem culpa por estar doente 

Esse ponto é importante para aqueles que estão enfrentando a depressão. É muito comum vir um sentimento de culpa e pensar que somos problemáticos demais, ou que estamos exagerando. A depressão é uma doença silenciosa e que acontece gradativamente, é muito importante entender quais são os sinais que ela apresenta para tratá-la em seu estágio inicial. 

Por isso, uma lição muito importante é entender que não podemos nos responsabilizar por causa de uma doença que muitas vezes não pode ser evitada, ainda mais em casos crônicos. 

8 – Cada um tem seu tempo 

Cada pessoa é diferente e todos tem o seu próprio tempo e ritmo para fazer as coisas. Aprender a respeitar isso é fundamental para entender que nem tudo se trata de nós, assim como já foi citado. Se você chamou alguém para um passeio e essa pessoa está indisposta, não encare isso como uma recusa, ou tente fazer mil interpretações que não fazem o menor sentido. 

Acredite mais no que lhe foi dito, nem tudo é uma desculpa para não compartilhar da sua companhia. Outro ponto muito importante que se encaixa perfeitamente nesse tópico, é a urgência para que tudo ocorra rapidamente. Tenha calma e entenda que o tempo se encarrega de colocar todas as coisas em seu devido lugar no momento certo! 

9 – Não tem problema em dizer não

Dizer não é uma dádiva! É algo extremamente necessário para encarar a vida com mais leveza. Existem muitas pessoas que tem uma dificuldade absurda em dizer uma simples palavra. Se você não está disposto a fazer determinado passeio, respeite isso. Se entender que alguém está te sufocando, diga! Não espere as coisas fugirem do seu controle para que você tenha alguma atitude. Lembre-se que isso não é egoísmo e sim autocuidado. 

10 – Seja empático 

terapia
Foto: (reprodução/internet)

Se colocar no lugar do outro nos permite entender melhor o mundo a nossa volta. Levando em consideração que cada pessoa enfrenta o seu próprio processo, isso é quase que fundamental. Como posso ser empático se não tento entender as dores do outro? Não economize empatia, simplesmente ame, abrace, diga coisas bonitas aos seus amigos quando tiver vontade. 

Toda essa energia positiva que é emanada, retorna intensamente para você. Só não se esqueça que ser alguém empático não te torna um capacho. Entenda bem o limite das coisas e não passe por cima de você por causa de outras pessoas. Pratique coisas que sejam reciprocamente saudáveis. 

11 – Aceite elogios 

Estudos apontam que nós temos muito mais facilidade para apontar nossos defeitos do que aquilo que carregamos de bom. Por isso, há uma recusa quando se trata de receber elogios. Se alguém elogiar o seu cabelo, não pense que é uma estratégia para lhe agradar, apenas aceite. Não fique se depreciando e arrumando justificativas para destruir esse elogio. Se os seus colegas de trabalho falarem que você é um bom profissional, busque melhorar ainda mais para continuar assim, ao invés de sempre tentar encontrar pontos negativos em si mesmo. 

12 – Você não pode controlar os outros 

Coisas como tentar saber o que o outro está fazendo ou pensando são enlouquecedoras e uma ótima chance de criar paranoias. Uma das piores coisas que você pode fazer é tentar o tempo inteiro entender absolutamente o que se passa na vida do outro. Já ouviu aquele ditado de que nem tudo nos convém saber? É justamente isso! Imagina se todos tivessem a capacidade de ler a mente uns dos outros? Seria desastroso. Tente confiar mais naquilo que lhe foi dito. 

Se você está em um relacionamento e seu namorado ou namorada diz que vai sair com os amigos, não fique o tempo inteiro mandando mensagem ou tentando saber se é verdade ou não, apenas confie! As desconfianças podem ser sanadas com simples perguntas, ao invés de perder a paz investigando e monitorando cada passo do outro.

ANÚNCIO